" (...)
Cantando amor, os poetas na noite
Repensam a tarefa de pensar o mundo.
E podeis crer que há muito mais vigor
No lirismo aparente
No amante Fazedor da palavra

Do que na mão que esmaga."

Hilda Hilst

Se gostou, volte sempre!!!!

sábado, 31 de julho de 2010

SEM OLHOS E SEM DONO por Carlos Heitor Cony


Ainda falando sobre leitura, a prefeitura de Belo Horizonte junto com algumas empresas de transporte coletivo da cidade, implantaram o projeto LEITURA PARA TODOS em que algumas linhas de ônibus circulam com textos - sejam crônicas, contos ou poesias - plastificadas o que proporciona aos usuários do transporte coletivo poderem ler um texto curto, em prosa ou verso, enquanto estão se locomovendo dentro da cidade.

É um projeto muito louvável e hoje, quando vinha para casa com minha filha, lemos esta crônica do Cony em nosso 'busão' o que ajudou em muito tornar a volta para casa ainda mais especial por este texto ter nos levado a profundas reflexões em relação a condição humana. Por isso, quis dividí-la com vocês, antes que os VAMPIROS a devorem...


"Já me perguntaram e eu mesmo me pergunto qual seria a imagem mais completa e dramática do abandono, da desgraça, da miserabilidade. Respondo aos outros, mas nem sempre tenho coragem de responder a mim: a do cão cego e sem dono. Ou pior: a do cão sem dono e cego.

Deve parecer exagero atribuir a um cão um dos atributos mais comuns à espécie humana. Mas o homem tem sempre uma alternativa, a de acabar com tudo quando nada mais suportar. Já disseram que o único problema que realmente enfrentamos é o suicídio, uma capacidade que os animais não têm, exceto, segundo já me disseram, mas não tenho certeza, o escorpião.

Além de dispor de uma saída radical para a miséria e o abandono, o homem é responsável, até certo ponto, pelo seu destino. Há sempre uma esquina errada que ele dobrou pela vida afora e cujo preço pagará inevitavelmente, mais cedo ou mais tarde.

O cão sem dono e cego é uma coisa viva e sofredora, sem apelação, pior do que inútil e desgarrado, pior do que desesperado, pois adquire a mansa lucidez de sua tristeza, de seu abandono, e desconfia de que nada possa mudar o seu destino.

À esta altura da crônica, antes que o possível leitor me faça, faço eu mesmo a pergunta: por que estou escrevendo um texto tão triste, tão despropositado e, acima de tudo, tão discutível? Afinal, eu não sou cego, ainda não cheguei ao ponto de me considerar um cão e tenho muitos donos, donos demais. De que estou reclamando? Não sou pago para escrever sobre um assunto que nem merece a condição de assunto. Mas escrito está.

Ontem, esbarrei com um cão sem dono e cego, que mancava de uma das patas, os olhos vazados não me viram, mas ele deve ter sentido o meu cheiro, a minha catinga humana. Vagava sem rumo aqui na Lagoa. Não o trouxe para casa. Quem é mais miserável?"


Folha de São Paulo, 16/10/2003


Carlos Heitor Cony
Tela: Vino Morais

sexta-feira, 30 de julho de 2010

SELEÇÃO DE 2 BOLSISTAS PARA UFMG

SELEÇÃO DE BOLSISTAS


A Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) seleciona 2 (dois) bolsistas para atuar junto à Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (DMAS), que atendam aos seguintes critérios:


1- Disponibilidade de 20 horas semanais.

2- Ser estudante de graduação da UFMG, a partir do 4° período, dos cursos:


Arquitetura
Ciências Biológicas
Ciências Sociais
Economia
Engenharia Ambiental
Geografia
Filosofia



A duração provável da bolsa é de 12 meses, no valor de R$ 360,00.

Os interessados devem enviar currículo, histórico escolar (pode ser o da internet) e um texto de apresentação, descrevendo seu perfil, suas experiências, seus objetivos e intenções para o email dmasufmg@yahoo.com.br até o dia 15/08 (domingo). Após essa data, será feita convocação para entrevista.

Hoje - Renato Russo e Leila Pinheiro

21ª BIENAL DO LIVRO DE SÃO PAULO

Infelizmente não poderei ir como está no Selo acima ( é que recolhi essa imagem no blog de um amigo paulista que com toda certeza irá à Bienal - http://ulissespoemas.blogspot.com/ - um poeta e contista maravilhoso que eu adoro - vale a pena conhecer seus escritos).

E como estamos falando de feira de livros e promoção da cultura nacional, nada mais oportuno do que mencionar também a 21ª Bienal do Livro de São Paulo que também será realizada em Agosto próximo.

Em um país que lê tão pouco e mal, pois basta visitar a LISTA DOS MAIS VENDIDOS DA VEJA que veremos os 'AUTO-AJUDA' figurarem impassíveis no topo de todas as listas, até nas de SCHINDLER é perigoso encontrarmos os Livros para levantar o MORAL desses Seres angustiados com a libido retesada; então, dá-lhes fluoxetina e livros de auto-ajuda para ver se sobrevivem por mais algum tempo sem tentarem o suicídio; apenas o intelectual e dos sentimentos.

Vou deixá-los agora em companhia de um extraordinário poeta, ícone máximo da Geração Beat no Brasil - PAULO LEMINSKY - para que possamos refletir um pouco sobre essa questão da Educação e Cultura de um povo, uma nação:




"Manifesto 2

A literatura de um país pobre
não pode ser pobre de ideias.
Pobre da arte de um país
pobre de ideias.
Pobre da ciência de um país
pobre de ideias.
Num país pobre,
não se pode desprezar
nenhum repertório.
Muito menos
os repertórios mais sofisticados.
Os mais complexos.
Os mais difíceis de aceitar à primeira vista.
Lembrem-se de Santos Dumont.
Sempre haverá quem diga
que num país pobre
não se pode ter energia nuclear
antes de resolver o problema
da merenda escolar.
Errado.
Num país pobre,
movido a carro de boi,
é preciso pôr o carro na frente dos bois."


in Ensaios e Anseios Crípticos


Um poeta já disse certa vez: "Os melhores sempre vão primeiro..."

Salve Renato Russo!
E por falar em Renato Russo, saiu recentemente o novo CD da maravilhosa LEILA PINHEIRO dedicado exclusivamente à grande obra desse poeta e profeta. Já estou atrás do meu CD. QUEM MEXEU NO MEU CD?!!!
Link da Bienal no título do post ou http://bienaldolivrosp.com.br

O BAR DO ESCRITOR NA FLIP 2010


IIª ANTOLOGIA DO BAR DO ESCRITOR NA FLIP 2010


"Oi, amigos.
Lançaremos a 2a antologia do BAR DO ESCRITOR durante a FLIP 2010 em Paraty, RJ, de 04 a 08 de agosto.
São 40 autores de todo o Brasil, com contos e crônicas para os mais diversos gostos. A capa está linda (veja acima). A organização do escritor Cristiano Deveras foi impecável.
A ideia anárquica de liberdade nas letras e nos pensamentos evolui juntamente com a comunidade do Bar. 'Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei'.

Conheçam. Participem.

Ah, está no site a Trigésima Sétima Rodada de drinques literários do Bar do Escritor, editada por este teu amigão para todas as horas. Veja lá também sobre o bar na Praia do Pontal, em Paraty.

Abraços.

Esperamos todos lá."

Giovanni Lemini do BAR DO ESCRITOR.


Ah, se eu pudesse atender ao convite, iria correndo. Então, fica registrado, quem puder participar da FLIP este ano (Feira de Literatura de Paraty 2010) que se relializará nos dias 04 a 08 de Agosto próximo, não deixem de conferir esse lançamento do BAR DO ESCRITOR que é um grupo muito bacana com enorme efervescência de ideias. Aposto que será uma troca prá lá de interessante.


Para conhecerem mais sobre essa turma basta linkar:


http://groups.google.com/group/bar-do-escritor


Aqui não há somente 'juba', gostamos de promover a CULTURA NACIONAL..

Beijos!!!

quinta-feira, 29 de julho de 2010

'Pessoas e Esquinas' SELECIONADO PARA ANTOLOGIA POÉTICA DE 2010 DA CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO




Acabo de chegar e já recebo essa notícia a qual me deixou muito feliz. Meu poema 'Pessoas e Esquinas' com o qual abro o livro homônimo foi selecionado para integrar a ANTOLOGIA POÉTICA 2010 DA cbje - CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO- que estará disponível para o público a partir de 10 de setembro deste ano.

Pra vocês o poema:
Pessoas e Esquinas


Pessoas e Esquinas
há em todo canto
todo lugar
em todo mundo;
Até na cidade que traz apenas
a rua de entrada
e a rua da saída.
Mas em algum momento
elas se cruzam
na praça ou no mato.

Sêmen cai na terra fértil,
Floresce a loucura.

Mulheres e Ruas
estão por aí
escolhem a quem vão dar
sua ternura.

Muito mais do que homens;
A Natureza sabe quem faz mais falta.

Para mais informações e acesso aos demais poemas selecionados basta clicar:

http://www.camarabrasileira.com/100grandespoetas.htm (deem um desconto ao erro de digitação deles)

Beijos a todos!!!! De tanto ser selecionada para 'antologias' periga de eu virar escritora mesmo... Te mete!!!

Foto de hoje da minha 'sementinha fotógrafa', assim que chegamos de viagem.

Lou Albergaria

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Vem ni Mim 41!!!!

Amigos e colegas blogueiros dessa louca Blogosfera, como estarei ausente por alguns dias, pois irei para detrás das minhas Montanhas onde não há nem sinal para celular, o que dirá para notebook, então estarei meio afastada da 'civilização'. Por conta disso, não passarei meu aniversário com vocês, meus lindos. Mas como este blog é bastante autobiográfico não poderia deixar a data passar em branco. Então, em 27 de Julho próximo, essa LeoaLoba completa seus 41 aninhos de pura traquinagem e falta de comedimento.

Para celebrar com vocês mais esse ano de vida, vou postar o poema com o qual encerro o livro PESSOAS E ESQUINAS que foi escrito entre Outubro/2009 e Março /2010, mas ainda lateja em mim e, creio eu, continuará latejando ainda por muitos e muitos anos, se Deus assim o permitir, se Deus existir, naturalmente. Ou então se a Natureza assim me conceder a graça de viver bastante ou pouco, não importa, o que importa é que seja de forma "intensa, verdadeira e pura, enquanto durar..." (Salve Dona Cora, minha doceira e poeta maravilhosa).


Agora resolvi dizer sim à loucura

Sair da órbita elíptica do normal

Do previsível

Lançar-me ao inesperado

Ao nunca antes feito ainda.

Ir ao encontro do que não conheço

Olhar em seus Olhos

Para talvez conseguir me ver

Procurar uma pista

De quem sou De Verdade

Ou melhor, tentar descobrir

Se sou algo Na Verdade.

Muitas vezes escondo-me no medo de saber quem sou

E é bem provável que até já saiba

Mas quero um pouco Mais


QUERO ME REINVENTAR!


Tchau, lindos! Tenham um ótimo final de semana e dias de muita LUZ, HARMONIA, PAZ, ALEGRIAS E IMENSO TESÃO...Tesão de estar vivo, de poder olhar nos olhos de quem está perto ou longe de você e se reconhecer humano, se reconhecer capaz de amar. Até!


Lou Abergaria

O clip do filme acima é um presente meu pra vocês, pois amo demais esse filme. Um cara que viveu da forma mais intensa que um ser humano pode viver, forçando todos os limites do imaginável para ao final descobrir:

" A felicidade só é verdadeira quando compartilhada."

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Mais Dois presentes da Amiga LENA


Hoje ganhei mais dois presentes de uma querida amiga a LENA do Blog da Helena http://helenatl1.blogspot.com/ : Os dois Selos para os meus blogs - Semente de Amora e vago(o)risco.

Muito obrigada, Lindona!!!

Essa gauchinha é demaisssss!!!!!!

Esse é um blog que eu também recomendo! Quem gosta de um bom conto erótico é lá O LUGAR!!! Ela escreve muito bem de fazer transpirar literalmente...

Agora não poderei colocar os banners aqui no post, pois meu mouse "deu pau", mas amanhã eu os insiro nesta postagem. Mas na barra lateral do blog, eles já estão presentes, tanto o da SEMENTE quando o vago(O)risco.

Esta 'Blogosfera' me surpreende muito mesmo, conforme até já havia dito: tenho encontrado mais amigos nesse Mundo louco que "não existe" do que no Mundo Nosso de todo dia.

Nem tudo está perdido, felizmente.

Beijos!!!!

MAIS PRESENTE DE UM AMIGO



Gente, esse Mundo Virtual me surpreende a cada dia. Enquanto o Mundo "Real" me decepciona tanto, o virtual tem sido um alento ao meu coração.

Recebi a Arte acima do lindo amigo e artista plástico VINO MORAIS (http://vinoartes.blogspot.com/) que fez um Link em seu blog para o vago(0)risco.

Fiquei encantada com seu gesto.

Vino, obrigada de coração!!!

E passo essa dica pra vocês: visitem o blog desse moço, pois encontrarão telas absolutamente extraordinárias!!! Não é exagero de LeoaLoba! A dica é quente pelando! São telas MARAVILHOSAS!!!! Ah, se eu pudesse e meu dinheiro desse!!!

Beijos!!!

UM HOMEM INTELIGENTE FALANDO DAS MULHERES


Recebi o texto abaixo por email de uma linda amiga, LOBA AZUL do blog QUE TE COMO A BEIJOS - http://lobazul-barbarella.blogspot.com/ , atribuído ao escritor Luís Fernando Veríssimo. Adorei o texto e gostaria de compartilhá-lo com vocês, pois sinto os homens muito arredios em relação às mulheres fortes e pujantes; aquelas que mostram e dizem em claro e bom som a que vieram. É um texto para nossa reflexão com toda a ironia e bom humor do maravilhoso Veríssimo.


"O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.

Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém.

Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha...

'Salvem as Mulheres!'

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat

Mulher não pode ser mantida em cativeiro.

Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro.

Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA.

Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta

Ninguém vive de vento.

Mulher vive de carinho.

Dê-lhe em abundância.

É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.

Beijos matinais e um 'eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias.

Não a deixe desidratar.

Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores

Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza

Você não suporta TPM?

Case-se com um homem.

Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação. Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade

É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito

Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela

Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado.

Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.

O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

E meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.

Só tem mulher quem pode!"


Luís Fernando Veríssimo
Tela: Vladimir Kush

quarta-feira, 21 de julho de 2010

A AMIZADE FEITA EM SONETO


Recebi do meu afetuoso amigo MACHADO DE CARLOS do blog Sonetos http://machadodekarlos.blogspot.com/ (vale a pena conferir esse blog, pois só há poesias encantadoras) este maravilhoso poema:

Para o Dia do Amigo:

Ouve!...

Agradeço de coração, alma boa,
Tuas palavras de amizade pura;
A envolver-me nas horas de amargura
Com tua mensagem que aperfeiçoa.

Quando o cimento oculta e me aguilhoa
Neste limo e de pedra muito dura
Chegas de mansinho...encontro cura!...
Como lhe agradecer a verbo que abençoa?

Com tua mão perfumada esqueço a dor,
E vivo neste orbe, farto de amor!...
Como é bom ter o teu ombro cristalino!

Tua amizade é a luz do meu mundo,
Com ela perco-me num sonho profundo!...
Que Deus te abençoe, alma que me ilumina!...

Machado de Carlos,

21 de julho de 2010 01:22


Acho linda nossa relação, pois sempre 'quebramos o maior pau', literalmente; pois não gosto de ver o poema aprisionado dentro da forma estática e imperiosa do soneto e ele, ao contrário, ama os seus decassílabos, como mesmo já me disse. Então, às vezes, parecemos duas crianças abestalhadas, brigando por pura implicância.

Quem me conhece, seja pessoalmente ou apenas de forma virtual, mas como sou muito sincera, não há grandes diferenças entre a minha persona real e virtual, sabe o quanto sou bastante criança. E criança adora um 'chilique', chamar a atenção, ainda mais se for uma Leoazinha.

Então, Machado, este post fica sendo o meu pedido de desculpas por todos o 'chiliques' e 'encheções de saco' desde que nos conhecemos através desta tela que nos separa e ao mesmo tempo nos une absurdamente, pois tenho por você um grande apreço e admiração, meu amigo, meu companheiro, meu camarada.


Super Beijo!!!!!!!
Cada um tem o direito de gostar da poesia da forma que achar melhor. E os Sonetos do Machado são absolutamente deliciosos, sem falar em sua amizade, sem a qual eu seria um ser MENOR.

terça-feira, 20 de julho de 2010

A ALMA DO OUTRO



Para que possamos refletir, neste dia tão especial dedicado à AMIZADE, sobre nossas relações afetivas com nossos familiares, amigos, colegas, amores, amantes e afins trouxe um texto da maravilhosa Lya Luft escrito em sua Coluna para a Revista VEJA em 25/04/2007:


Ponto de vista: Lya Luft

A alma do outro

"No relacionamento amoroso, familiar ou amigo
acredito que partilhar a vida com alguém que
valha a pena é enriquecê-la. Permanecer numa
relação desgastada é suicídio emocional, é
desperdício de vida"

"A alma do outro é uma floresta escura", disse o poeta Rainer Maria Rilke, meu único autor de cabeceira.

A vida vai nos ensinando quanto isso é verdade. Pais e filhos, irmãos, amigos e amantes podem conviver décadas a fio, podem ter uma relação intensa, podem se divertir juntos e sofrer juntos, ter gostos parecidos ou complementares, ser interessantes uns para os outros, superar grandes conflitos – mas persiste o lado avesso, o atrás da máscara, que nunca se expõe nem se dissipa.

Nem todos os mal-entendidos, mágoas e brigas se dão porque somos maus, mas por problemas de comunicação. Porque até a morte nos conheceremos pouco, porque não sabemos como agir. Se nem sei direito quem sou, como conhecer melhor o outro, meu pai, meu filho, meu parceiro, meu amigo – e como agir direito?

Neste momento escrevo, como já disse, um livro sobre o silêncio. Começou como um ensaio na linha de O Rio do Meio e Perdas & Ganhos, mas acabou se tornando um romance, em pleno processo de elaboração. Isso me faz refletir mais agudamente sobre a questão da comunicação e sua por vezes dramática dificuldade, pois nos mal-entendidos reside muito sofrimento desnecessário.

Amor e amizade transitam entre esses dois "eus" que se relacionam em harmonia e conflito: afeto, generosidade, atenção, cuidados, desejo de partilhamento ou de vida em comum, vontade de fazer e ser um bem, e de obter do outro o que para a gente é um bem, o complicado respeito ao espaço do outro, formam um campo de batalha e uma ponte. Pontes podem ser precárias, estradas têm buracos, caminhos escondem armadilhas inconscientes que preparamos para nossos próprios passos em direção do outro. O que está mergulhado no inconsciente é nosso maior tesouro e o mais insidioso perigo.

Pensar sobre a incomunicabilidade ou esse espaço dela em todos os relacionamentos significa pensar no silêncio: a palavra que devia ter sido pronunciada, mas ficou fechada na garganta e era hora de falar; o silêncio que não foi erguido no momento exato – e era o momento de calar.

Mas, como escrevi várias vezes, a gente não sabia. É a incomunicabilidade, não por maldade ou jogo de poder, mas por alienação ou simples impossibilidade. Anos depois poderá vir a cobrança: por que naquela hora você não disse isso? Ou: por que naquele momento você disse aquilo?

Relacionar-se é uma aventura, fonte de alegria e risco de desgosto. Na relação defrontam-se personalidades, dialogam neuroses, esgrimem sonhos e reina o desejo de manipular disfarçado de delicadeza, necessidade ou até carinho. Difícil? Difícil sem dúvida, mas sem essa viagem emocional a existência é um deserto sem miragens.

No relacionamento amoroso, familiar ou amigo acredito que partilhar a vida com alguém que valha a pena é enriquecê-la; permanecer numa relação desgastada é suicídio emocional, é desperdício de vida. Entre fixar e romper, o conflito e o medo do erro.

Somos todos pobres humanos, somos todos frágeis e aflitos, todos precisamos amar e ser amados, mas às vezes laços inconscientes enredam nossos passos e fecham nosso coração. A balança tem de ser acionada: prevalecem conflitos ásperos e a hostilidade, ou a ternura e aqueles conflitos que ajudam a crescer e amar melhor, a se conhecer melhor e melhor enxergar o outro? O olhar precisa ser atento: mais coisas negativas ou mais gestos positivos? Mais alegria ou mais sofrimento? Mais esperança ou mais resignação?

Cabe a cada um de nós decidir, e isso exige auto-exame, avaliação. Posso dizer que sempre vale a pena, sobretudo vale a pena apostar quando ainda existe afeto e interesse, quando o outro continua sendo um desafio em lugar de um tédio, e quando, entre pais e filhos, irmãos, amigos ou amantes, continua a disposição de descobrir mais e melhor quem é esse outro, o que deseja, de que precisa, o que pode – o que lhe é possível fazer.

Em certas fases, é preciso matar a cada dia um leão; em outras, estamos num oásis. Não há receitas a não ser abertura, sinceridade, humildade que não é rebaixamento. Além do amor, naturalmente, mas esse às vezes é um luxo, como a alegria, que poucos se permitem.

Seja como for, com alguma sorte e boa vontade a alma do outro pode também ser a doce fonte da vida.


Lya Luft

segunda-feira, 19 de julho de 2010

"OK, VOCÊS VENCERAM! BATATA FRITA!!!!"


Parece que meus amigos e colegas blogueiros não querem que eu feche as portas do SEMENTE DE AMORA.

"OK, VOCÊS VENCERAM! Batata Frita!!!" Quem estiver beirando 40 ou já passou por eles, com toda certeza, se lembra dessa frase muito cantada em meados dos anos 1980 pela banda BLITZ, principalmente quase todos os sábados à tarde no Programa do Chacrinha. Foi uma época muito boa. Não sou do tipo de pessoa saudosista, pois o MELHOR, em minha opinião, está sempre no hoje e no agora, uma vez que é somente neste lapso de tempo que o ser humano pode agir. O passado não existe mais (embora continue atuando em nós) e o futuro está intimamente ligado às decisões tomadas hoje, agora, neste exato segundo.

Entretanto, gosto muito de me lembrar dos ditos ANOS 80, a chamada DÉCADA PERDIDA. Seja no aspecto econômico com toda aquela estagnação e índices inflacionários altíssimos, seja pelo aspecto político - época de transição de um sistema ditatorial para uma democracia - seja na estética. Especialistas consideram a década de 1980 como "a mais brega e cafona de todos os tempos". Será?!!! Tudo bem que ver Antonio Banderas nos filmes de Almodóvar com aquelas calças jeans coladas ao corpo e cintura bem alta não é muito agradável aos olhos nem ao bom gosto, bem como aqueles blazers dobrados até o cotovelo; sem falar nas maquiagens exageradas em que as cores predominantes eram o pink , o laranja e verde limão. É... pensando bem foi uma década bem brega mesmo, tanto é que essa palavra foi cunhada exatamente nessa década. Quem terá sido a criatura que resolveu chamar tudo que fazia sucesso naquela época de 'brega'?

O fato é que ninguém deve saber quem é essa digníssima pessoa, enquanto que os considerados'bregas' continuam aí arrasando quarteirão. Outra expressão daquela época. Nossa, agora estou denunciando minha idade mesmo, mas acho bacana (outra palavrinha) assumir a idade. Falta apenas uma semaninha para completar 41 aninhos. Que delícia de idade! A crise dos 40 já passou, felizmente; agora é só viver e deixar viver. Acaso será outra expressão daquela época?

Mas é um tesão (ich!!!) estar vivo! Isso que verdadeiramente importa.

ANOS 80 SAUDADE SIM! E muita!!! No auge da adolescência, descobrindo o Mundo , a Vida, sonhando bastante (isso eu faço até hoje Graças a Deus), Troca do primeiro beijo, primeiro sarro (outra palavra), primeiro contato com o corpo masculino, ainda que não tenha perdido a virgindade nessa década (sempre fui muito lesada para esses quesitos relacionados à sexualidade). Talvez, por isso, me sinta bem melhor hoje quando todas aquelas inseguranças não existem mais. Hoje tenho exata consciência de quem sou e do que posso ou não posso fazer ou não gosto de fazer, mas, sobretudo, do que adoro fazer. E faço sem culpa, sem neura, sem drama. Como é bom ser livre! Livre de você mesmo. Sim, pois nosso maior carrasco e augoz, a vida tem me ensinado, somos nós mesmos. A gente é que se tolhe, é que se pune, se maltrata, por razões que muitas vezes fogem ao nosso controle, mas precisamos 'trabalhar' isso de alguma forma. Seja no divã, no pai de santo, no padre ou pastor, seja no silêncio quando voltamos toda nossa atenção para nos ESCUTAR; verdadeiramente tentar ouvir quem SOMOS MESMO e não como a sociedade quer que sejamos ou nossas famílias com seu puritanismo tosco.

Viver não é fácil. Mas também não é difícil, eu diria. É apenas cansativo quando se quer ser íntegro com a gente mesmo. Uma vez que quando simplesmente 'fechamos os olhos' e nos deixamos ser carregados pelas contingências nos livramos da trabalheira de viver, mas também nos livramos da vida, da NOSSA VIDA e passamos a viver feito gado na manada: "povo marcado, povo feliz" - sem argumentos próprios que contrariam o percurso já pré-determinado e imposto que temos de seguir à risca para não sermos EXCOMUNGADOS. Sem dúvida é mais "fácil" viver assim, sem oferecer risco às normas de conduta estabelecidas. Entretanto, haja 'fluoxetina', diazepam, valium para dar conta de tanta castração da libido de existir por conta própria, seguindo os próprios instintos, os próprios desejos, sendo quem a gente É de VERDADE.

Roberto Freire, meu Mestre anarquista, guru , mentor intelectual e o caralho escreveu certa vez em seu magnífico livro VIVA EU, VIVA TU, VIVA O RABO DO TATU - inclusive este texto serve de prólogo ao meu livro PESSOAS E ESQUINAS:

“(...) Sou dos que acreditam que só se pode enfrentar a pedagogia pelo medo com uma pedagogia pelo prazer. Por isso, em minha forma de terapia estou conseguindo saber o que uma pessoa realmente é (em sua forma original), através do que lhe dá prazer de viver e de ser; pesquiso a sensorialidade e sensibilidade da pessoa antes de me interessar por sua racionalidade e intelectualidade. Enfim, na pedagogia terapêutica que adotei faço o inverso e com a mesma direção (não com o mesmo sentido) do que fizeram as pedagogias familiares e sociais de meus clientes: trocar, quando necessário, a coragem pelo medo; o risco pela segurança; a dor de si mesmo pela dor dos outros; e amor como desenvolvimento, não como dependência. Finalmente, tento provar-lhes que nenhuma vida vale outra vida, nem pela dor, nem pelo amor, nem pela coragem e nem pelo medo, nem pelo risco e nem pela segurança; a vida de cada um é única, original e inalienável. (...) O ser humano não é o que pensa, não é o que trabalha; é simplesmente o ser que brinca, que joga. (...) Basta, então, tirar o medo da dor do caminho, que vamos direto à nossa pessoa original. Que não é boa nem má, nem certa nem errada. É só o que ela é, apenas o que ela pode ser. Quem não consegue ser aquilo para que nasceu, compreenderá e sentirá muito bem o que escrevi muitos anos atrás, numa crise de perda de identidade:’Há momentos em que a gente sente que a vida pode ter fim antes da morte da gente.’

(...) Nossa vida é dominada e controlada por dentro ou por fora de nós? Ainda: quem responde por minha vida? De minha parte, estou certo de que todas as vezes em que não pude responder diretamente à vida, alguém ou alguma coisa respondeu indevida ou impropriamente por mim. E assim tive que assumir crimes que não cometi, injustiças que não tolero. E acabei perdendo o gosto do amor, o sabor da liberdade. Mas ganhei a solidão incomunicável . Como as dos deuses e as dos escravos.”

É isso aí! (lembram-se dessa expressão que sempre a Leda Nagle terminava o Jornal Hoje aos sábados naquela "década perdida"?)

Não creio que tenha sido perdida. Ao contrário, hoje a encontro bem forte e lúcida dentro de mim. E foi por tudo que descobri e vivi naquela década que hoje sou o que sou. Então, não foi perdida, não para mim. E imagino que para minha geração também não tenha sido. Pelo menos para aqueles que conseguiram encontrar quem SÃO DE VERDADE e não precisam usar máscaras sociais para serem aceitos em seus núcleos familiares e rodinhas de amigos para tomar uma cerveja ou um dry martini.

Que bom estar de volta ao meu SEMENTE!!! A velha e boa Lou de sempre! Estar de volta "ao meu lar, meu jantar, meu nobre paladar..." (Titãs no Chacrinha em meados de 1980).


Valeu!!!!!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

A ARTE DE ADMINISTRAR BLOGS

Amigos leitores e Colegas blogueiros,

Aviso a vocês que agora me encontrarão mais no vago(O)risco e Loba de Ray Ban, pois é muito enlouquecedora essa vida de EDITAR vários blogs, fora os blogs coletivos e interativos dos quais participo.
Então, por conta disso, vou deixar o SEMENTE DE AMORA aberto apenas para aqueles que desejarem matar as saudades e relerem os antigos posts, pois há muita coisa interessante por aqui - um pedaço da minha vida de alguns meses apenas, mas que foram deliciosamente intensos - aliás, como é sempre essa minha VIDA LOUCA VIDA. No fundo sempre sozinha, mas com muita história pra contar. Como disse certa vez uma velha amiga: uma vida para no mínimo umas três biografias. E ela estava certa.
Mas se querem acompanhar essas 'biografias', agora só nos dois blogs já citados e nos blogs interativos.
O Semente de Amora, hoje tornou-se para mim mais um ÁLBUM DE FAMÍLIA.
E, realmente, não tenho como dedicar tempo a tantas atividades. A minha sementinha anda até meio ressentida por não sobrar tempo para nossas traquinagens.
Obrigada aos 'SEGUIDORES' e amigos queridos, mas se quiserem ler os textos e poesias dessa LeoaLoba, terão de ir aos outros 2 blogs. Estarei lá para recebê-los com todo o prazer, além dos outros blogs como DIÁLOGOS POÉTICOS e FÁBRICA DE LETRAS.
Super beijo!!!
Lou