" (...)
Cantando amor, os poetas na noite
Repensam a tarefa de pensar o mundo.
E podeis crer que há muito mais vigor
No lirismo aparente
No amante Fazedor da palavra

Do que na mão que esmaga."

Hilda Hilst

Se gostou, volte sempre!!!!

terça-feira, 7 de junho de 2011

UM POEMA VOLÁTIL...



Sonhei um poema fácil
estrutura livre, e de
ausente armadura

Senti seus lábios
vagueando entre versos
soltos e leves

Flutuei acima de nuvens

Molhada, a poesia escorre
juntando beijos e letras

E eu, aprendo a amar
protegida de toda impostura

Lou Albergaria

***

É tão bom estar de volta em casa... sem um 'covil psicodélico' a me.......... rodopiar na pista.... Agora, eu tô no colo da manhã. 

Tomem assento e vamos zarpar...  em busca da poesia perdida.

nós entre tantos nós
precisamos reatar
desatar o que cega
luz noturna pede calma
no fim do túnel
odalisca errante
emoldura o sorriso
nem tão liso
de improviso
eu canto o pranto
emoliente derrete
a couraça do ventre
impotente tormento
desmascara
a máscara de tão rente
substitui a cara
o ciclo se fecha: Renascimento!

5 comentários:

  1. espero que a poesia continue a escorrer entre tão osculadas letras sentidas palavras

    ResponderExcluir
  2. Oi Lou
    É muito bom estar aqui também com você. Adorei os poemas.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. Entrei hoje pela primeira vez aqui Lou, não conhecia. Encantou-me! Lindo, espaço, poemas...leve e lava e Lou(va)mos juntos ao vento e com o vento...nas cores da formosa semente de amora. bjs

    ResponderExcluir
  4. Minha querida

    Como sempre uma viagem por dentro do poema...um caminhar nas entrelinhas das palavras.

    Deixo um beijinho
    Sonhadora

    ResponderExcluir
  5. OLÁ!!!
    ADOREI SEU BLOG E ESTOU SEGUINDO.
    ME SEGUE?
    WWW.AMORIMORTALL.BLOGSPOT.COM
    BEIJOS

    ResponderExcluir

Deixa sua SEMENTE aí... Obrigada! BEIJOS!